Acupuntura e ozonioterapia como tratamento complementar em suspeita de discopatia toracolombar em cão – relato de caso

Dentre as enfermidades neurológicas, as afecções medulares são as mais comuns em pequenos animais, principalmente as relacionadas às discopatias compressivas. O tratamento com acupuntura e ozonioterapia nestes casos tem demonstrado boa eficácia pela literatura científica.

Um cão, fêmea, sem raça definida (variação de Daschund com Basset Hund), de seis anos, pesando 11,8 kg, com histórico de paraparesia de evolução progressiva há uma semana foi atendido pelo Serviço de Acupuntura Veterinária da FMVZ – UNESP Botucatu/SP. Ao exame neurológico observou-se paraparesia ambulatorial, andar rígido, ataxia proprioceptiva, hiperreflexia patelar, ausência de propriocepção, dor à palpação epaxial toracolombar, ausência de dor superficial e dor profunda diminuída em membros pélvicos. Ao exame radiográfico de coluna vertebral toracolombar as estruturas avaliadas encontravam-se preservadas, mas por motivo de restrição financeira, não foram realizados exames de imagem avançados.

A paciente passou por cinco sessões de acupuntura (a cada sete dias, em média), nas quais foram realizadas técnicas de acupuntura com agulha seca (20 minutos) em acupontos como VG16, B17, B23, Bai Hui, B60, BP6, VG20, B18, VG2, VG14, IG11, IG4, B40, E36, F3, VG16, B20, B21, eletroacupuntura no B19, B22, VB30 e VB34 e aplicação de 40 mL de ozônio (12 mg/litro) intra-retal.

Foi observada melhora progressiva na deambulação e na restauração dos reflexos espinhais ao longo do tratamento. Na 5ª sessão, a paciente apresentava grau leve de ataxia proprioceptiva, porém já conseguia se locomover melhor. O reflexo proprioceptivo ainda se encontrava ausente nos membros pélvicos, entretanto, a sensibilidade à dor profunda estava preservada e à dor superficial diminuída. A paciente também já não apresentava dor à palpação epaxial em região toracolombar.

A acupuntura e a ozonioterapia mostraram-se benéficas em melhorar a função motora e sensitiva e controlar a dor, promovendo efeitos anti-inflamatório e analgésico.

Isabela Garanhani Cezar1, Maíra Belli2, Stelio Pacca Loureiro Luna2.

1Médica Veterinária pós-graduanda Latu sensu em Acupuntura Veterinária – Instituto Bioethicus, Botucatu/SP, isabelagaranhanic@hotmail.com

2Ambulatório de Acupuntura Veterinária, FMVZ – UNESP/Botucatu

 

Scroll Up